Duas coisas que aprendi com a procura de emprego

1 - Há trabalho, a sério que há (vá, também não chovem telefonemas para entrevistas, mas percebem a ideia). Não há é vontade que esse trabalho seja pago adequadamente. Fui a uma entrevista em que me foi proposto qualquer coisa como €250 por mês durante três meses antes de ser decidido se passaria a estágio profissional. E não era, de forma alguma, um trabalho corriqueiro - exigia tempo, criatividade e sentido crítico, coisas que recuso dar a troco de quase nada. As pessoas -e há tantas- que dizem que se queremos mesmo trabalhar aceitamos qualquer emprego independentemente das condições que nos sejam oferecidas merecem um murro nos dentes.


2 - As entidades empregadoras tentam -deliberadamente?- ocultar a verdadeira natureza das funções correspondentes a determinadas ofertas. As mais comuns são:



Sales assistant (operador de loja)


Assistente de Recursos Humanos (comercial porta-a-porta)


...e a minha preferida:


Colaborador de Marketing (distribuidor de panfletos) 


Resta-me perceber se a ideia é levar as pessoas ao engano ou melhorar a imagem do cargo através de um nome elegante. Falando mais a sério, o assunto é por vezes grave - sei de empresas que anunciam uma função (como assistente de RH), conduzem a entrevista evitando detalhes e esquivando-se a questões, indicam aos candidatos que apareçam no dia seguinte e só aí estes se apercebem que estão perante um trabalho de comercial porta-a-porta (que nada tem de mal, mas ditam as leis do trabalho que as pessoas saibam ao que vão). Aconteceu-me algo semelhante, já há uns anos, com a diferença que tive a inspiração de consultar opiniões online sobre a empresa em questão e percebi que o processo de recrutamento e seleção era um grande esquema. Por aí, alguma história mirabolante? 


41 comentários

  1. Infelizmente o paradigma de trabalhar e receber deixou de servir, em Portugal.
    Conheço tantas histórias de gente que anda a trabalhar à borla até ver aprovado o estágio profissional que até deprimo de cada vez que penso nisso.
    È ridículo explorarem o desespero e necessidade das pessoas. E se isto é melhorar a taxa de desemprego, prefiro que seja como dantes. Porque sinceramente, e por este andar, acho que nunca na vida vou ter um trabalho digno :)

    http://apelequehabitoblog.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  2. Isso acontece tanto, infelizmente!
    Uma vez fui a uma que era multinacional, que precisavam de gente de línguas, (trabalho perfeitooo), mas era apenas para atender telefonemas e ganhas super mal. Tinhas ainda que trabalhar 15 dias de borla que era a formação e depois é que sabias se ficavas... não voltei lá, claro...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Se acho que as condições são más também não volto, mesmo que o emprego me interesse. É porque há sempre quem aceite que as entidades empregadoras se vêem à vontade para nos explorarem.

      Eliminar
  3. Infelizmente o mercado de trabalho está cada vez mais desrespeitoso por quem precisa e quer trabalhar.
    Hoje em dia ter um emprego que não seja precário é um achado, o que está de todo errado. Mas é o rumo que as coisas tomaram e temos que lutar para que elas mudem.
    Beijoca***

    Já te sigo! Segue-me! :)
    Visita: momentomaravilha.blogspot.pt

    ResponderEliminar
  4. Ui, não podia concordar mais. É com cada artimanha nojentinha que até dá dó.
    Tens toda a razão, haver trabalho há mas é Precário: pagam mal e porcamente, exigem tudo e mais alguma coisa e nada é assegurado ao trabalhador. Assim mais vale irmos para uma loja de roupa ou supermercado que sempre é mais "certo" do que esse tipo de trabalhos fantásticos. E trabalhos na nossa área de formação então são para esquecer, pelo menos remunerados, na minha, são quase uma miragem.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  5. Particularmente não tenho nenhuma história dessas mas já soube de algumas de amigas minhas. É vergonhoso. Há imensas empresas a aproveitarem-se descaradamente de quem precisa. Bem sei que com a quantidade de desempregados que há, as leis da oferta e da procura beneficiam os empregadores, mas tem de haver bom senso e decência nas ofertas que fazem!

    ResponderEliminar
  6. 150 euros por 3 meses... 500€ para tratar da papelada do escritorio como ta,bém tratar das crianças e da limpeza do escritório, com hora de entrada sem hora de saida e antes de assinar era para ser 1 mes À experiencia... é melhor ficar por aqui xD

    ResponderEliminar
  7. Tenho uma publicação planeada sobre este tema, precisamente por já ter sido quase enganado por uma empresa. Uma pessoa quando manda 1001 currículos, às tantas já não se lembra de todos. Resumindo, sou contactado por uma empresa que dizia ter o meu CV e queriam marcar uma entrevista. Quando vou pesquisar online descubro que não passava de um esquema e que até já tinham mudado de nome por terem sido expostos no passado. Hoje em dia tem que se ter imenso cuidado, existe muita gente mal intencionada que se aproveita de quem quer um emprego. Call centers é o que não falta, mas acho hilariante os nomes pomposos que arranjam para camuflar a realidade.

    Ricardo, The Ghostly Walker.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Já me aconteceu candidatar-me a um emprego e ser contactada para uma vaga de comercial, à qual não me tinha candidatado. Faz-me um bocado de confusão saber que há empresas tão liberais com os currículos que recebem.

      Eliminar
  8. Que horror!! Isto faz-me imensa confusão...

    ResponderEliminar
  9. E quando vais a entrevistas e aquilo parece mais um estudo de mercado que outra coisa qualquer? --' Abstenho-me de referir marcas.

    ResponderEliminar
  10. Já recebi propostas de trabalho na minha área (saúde) para receber 2,87€ à hora, 40h semanais, a recibos verdes...escusado será dizer que apresentei queixa na minha ordem profissional, que foi o mesmo que nada porque a minha querida Ordem profissional só serve para nos sacar as quotas ao fim do ano...enfim...isto vai de mal a pior é o que é...

    ResponderEliminar
  11. Não foi comigo porque desde que acabei o curso não tive sequer propostas de trabalho absurdas. Mas soube de uma enfermeira que recebeu uma proposta em que trabalhava x horas por semana e davam-lhe o subsídio de alimentação e de transporte. Era pagar para trabalhar. Não tinha o salário de uma enfermeira, mas caso alguma coisa corresse mal já tinha de responder como enfermeira que era. E depois há aquelas propostas em que oferecem 2,50€ à hora a recibos verdes. O pessoal como está desesperado e já só quer algum emprego aceita, mas eu acho ridículo.

    ResponderEliminar
  12. Credooooo!
    Essa do colaborador de marketing dá panos para um bom estudo de técnicas de marketing. Fossem sempre transparentes e estávamos tão mas tão melhor, a nível de empregos.

    Beijinhos,
    http://princesasemtiara.blogs.sapo.pt/

    ResponderEliminar
  13. Há situações horríveis por aí. As empresas agora são especializadas em aproveitar o desespero das pessoas! Desde a part-times em que te tentam explorar ao máximo a trabalhos a tempo inteiro que exigem dedicação, disponibilidade, habilitações ao nível da licenciatura ou mais e quando vês melhor, o salário é considerado pelas empresas o menos importante. Concordo contigo... era um grande murro nos dentes!
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  14. Olá Nádia... concordo plenamente no murro nos dentes :-) Esta ideia que nos tentam incutir... que temos que ser escravos... porque é isso que somos hoje em dia... Cada vez mais, os trabalhadores estão a perder os direitos que conquistaram ao longo dos anos e está a torna-se numa ideologia de deixares de ter vida e vires para casa com meia dúzia de tostões... que não dá para sustentar nada... Isso das funções camufladas tem pano para mangas... Revolta-me o caminho que isto está a levar... aliás já levou...
    Adorei o teu post e a tua opinião sobre o assunto...Parabéns. Beijinhos

    http://ananegraomakeup.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  15. Colaborador de Marketing (distribuidor de panfletos) - Muito bom !
    Isto é ridículo.
    r: É apenas amizade.

    ResponderEliminar
  16. ahahaha adorei! Tens toda a razão *.*
    http://diaryofalittlebee.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  17. Adorei! pelo menos alguém que entenda essas ofertas!

    ResponderEliminar
  18. É uma triste realidade..daqui a pouco as pessoas ainda têm que pagar para trabalhar...

    Isabel Sá
    http://brilhos-da-moda.blogspot.pt

    ResponderEliminar
  19. É vergonhoso!!! Infelizmente está assim o mundo de trabalho, e sim chegar ao fim do mês e ver o recibo dá uma dor no coração! Mas enquanto as pessoas aceitarem e dizerem " ao menos sabes que no fim do mês está garantido".
    Depois depende dos objectivos que tens na vida! E sim acredito que vais conseguir, és demasiado nova e tens tudo para arriscar e não te contentares com pouco!!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Infelizmente o panorama é mais negro do que pensava, porque até cargos de alguma responsabilidade estão a ser pagos vergonhosamente. Posso dizer-te que a última entrevista a que fui era para editor assistente numa revista de ciências sociais peer-reviewed que cobra um balúrdio aos autores por cada artigo publicado mas "não podem" pagar mais que €300 por um part-time. Acho difícil conseguir alguma coisa sem uma boa rede de contactos, que como tu sabes eu não tenho. E não sou capaz de ir para fora do país sozinha, por isso ou tenho a sorte de aparecer na minha vida alguém mais desenrascado que eu - e assim já era capaz de sair - ou mais cedo ou mais tarde vou ter que aceitar um desses empregos em que "ao menos no fim do mês está garantido" =/

      Eliminar
    2. Muita calma, quando menos se espera aparece!!! Acredito que estejas a ficar desanimada, mas não podes....

      Eliminar
  20. Infelizmente é o que mais se vê nos dias de hoje.. Esse tipo de "explorações", em que querem o trabalho feito quase gratuitamente...

    beijinho,
    - Miss Grace -

    ResponderEliminar
  21. Muito, muito obrigado querida Nádia! De coração :')
    Breve, breve tudo isto vai passar muito graças a vocês que apoiam incondicionalmente :)

    Trabalhar sim... mesmo que seja no que não gostamos... Mas exploração não por muito que precisemos de dinheiro! Há limites!

    NEW COOKING EXPERIENCE POST | Apple Pie Without Sugar
    InstagramFacebook Oficial PageMiguel Gouveia / Blog Pieces Of Me :D

    ResponderEliminar
  22. Acho que de facto é exatamente como dizes! Infelizmente...

    ResponderEliminar
  23. Essa dos nomes é bastante real. A pior coisa que me aconteceu foi mesmo quando procurei um part-time enquanto ainda estava na faculdade. Diziam ser uma empresa de organização de eventos e precisavam de pessoas para trabalhar como recepcionista e hospedeiras disso mesmo. Mandei mail, ligaram-me a pedir entrevista e fiquei mega contente!
    Fui pesquisar à net antes de ir e a empresa nem existia! Os anúncios colocados eram falsos e li uns testemunhos que... bem, nem dá para comentar. Acho que esta área da organização de eventos, emprega sem dúvida muita gente e é óptima para part-times mas é muito arriscado. O que mais conheço é gente que fez o trabalho e nunca recebeu nada. E como não tem como provar que trabalharam, esse dinheiro vai ser mesmo esquecido. Enfim....
    xoxo, Ana

    The Insomniac Owl Blog

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Também acho que ser hospedeira de eventos pode ser um part-time ótimo. Mas não sei se o faria sem contrato.

      Eliminar
  24. ahahahh morri com o colaborador de marketing. Isto é mesmo surreal, só pode ser mm a gozar c as pessoas... sem noção de nada :( é mm triste

    ResponderEliminar
  25. o emprego neste país está de facto em maus lençóis...

    ResponderEliminar
  26. Tu pagas 1000 euros a um empregado liquido! Mas tu para poderes pagar isso a um empregado tens de o vender/ter custos de 4000 euros... resultado vão 3000 euros para o estado. Absurdo! Que eu até achava bem e mais poderia ser se tu os visses em saúde gratuita, ensino gratuito (livros incluidos) mas não tu vês o money a ir a zero retorno. E depois as empresas são espertas é mil e um estágios não remunerados, só para a experiência. É esses nomes enganadores. Claro que quando uma pessoa ganha mais em subsídios do que em ordenado trabalhar é uma não opção. A quantidade RSI e abonos que certas pessoas recebem devia ser proibido. É chular quem precisa e toda a maquina fiscal.

    ResponderEliminar
  27. Caí no erro de vir para um estágio emprego do IEFP, é a maior merda (desculpa-me o termo) que eu fiz na minha vida. Tudo bem, que se levantem as vozes que dizem "ao menos tens um trabalho e ganhas por isso", mas é um trabalho de escrava. Não é a minha área e faço 1001 coisas que não me competem, só porque sou mão-de-obra barata. Por isso, não sei se já caíste nesta asneira, mas caso fiques tentada a isso... desiste! É um conselho que te dou.

    http://nuagesdansmoncafe.blogs.sapo.pt

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olha eu sinceramente acho que depende das empresas. Já fui a uma entrevista para um estágio IEFP em que sabia exatamente o que iria fazer e era relacionado com a minha área. Mas também já fui a uma em que percebi logo que esperavam que fizesse as 1001 coisas que não me competem, como dizes.

      Eliminar
    2. Pois, eu na entrevista a que fui, foi-me dito o que eu teria de fazer e estavam a ser bastante específicos, mas ao começar o estágio, cerca de 2 meses depois, já estava a ver no que ia dar e não me agradou nada! Neste momento falta-me quase 1 mês para terminar e estou desejosa de os ver pelas costas.

      Eliminar
    3. Pois, compreendo que seja muito mau. Ainda não me aconteceu, mas acho que também não lidaria bem com ter que acordar diariamente para ir fazer uma coisa que não quero num sítio onde não me valorizam =/

      Eliminar
    4. Todos os dias chego a casa cansada, deito-me estafada e acordo pior ainda. Além disso já tive duas zangas com eles, a última não correu muito bem para o meu patrão, porque ele começou a faltar-me ao respeito, mas numa 3a zanga, mesmo faltando 1 mês para o fim, eu apresento queixa deles no IEFP. Não estou para trabalhar como uma louca, em coisas que dou o meu melhor mesmo não percebendo, e ainda me maltratarem e desvalorizarem o meu trabalho.

      Eliminar
    5. Sim, não deixes de fazer valer os teus direitos! Fico contente que esteja a terminar e que estejas próxima de te livrares dessa situação =)

      Eliminar
    6. Quando terminar, só quero um emprego a sério, nada de estágios xD

      Eliminar

© Kill Your Barbies. Design by Fearne.