ROOM, ou "como chorar compulsivamente"




Eu sou uma pessoa que chora nos filmes. Não em um ou outro - é mesmo em mais de metade. Choro em todos os filmes de romance, acabem em felicidade ou tristeza, em filmes sobre cães, em filmes de jornada e descoberta pessoal. Choro quando a Kate salta do salva-vidas para dentro do Titanic (sim, era o que todas faríamos se dentro do Titanic estivesse o jovem Leo, but still), quando o Brad morre no Tróia, na cena final de Brokeback Mountain e quando os franceses cantam A Marselhesa no Casablanca. Em contrapartida, não sou muito sensível a criancinhas. Nada contra, só não as discrimino positivamente face aos adultos. Por isso, quando fui esta terça-feira ver Room, fiquei levemente surpreendida por não conseguir parar de chorar. Mesmo. O filme todo. TO-DO. Mais ou menos assim: o pequeno humano está a brincar com Legos? Lágrimas. O pequeno humano coloriu com lápis de cera? Mais lágrimas. O pequeno humano pede um pacote de sumo? Baba e ranho. 


Tinha lido, dias antes, que a experiência do filme é mais recompensadora se entrarmos com pouco conhecimento prévio. Tentei não ver o trailer, mas fui traída pelos anúncios antes de Carol (que é de longe o meu filme predileto da temporada e de que falarei num outro post). Já sabia, portanto -e se preferem não conhecer a premissa da história não leiam o restante deste parágrafo-, que Room conta a história de um menino de cinco anos que cresceu aprisionado num pequeno espaço na companhia da mãe e que eventualmente deixaria o Quarto e seria confrontado com o mundo exterior, um mundo que até então julgava não ser real. E é interessante como a câmara espelha isso mesmo: quando somos convidados a acompanhar os acontecimentos segundo o ponto de vista de Jack, não nos é revelada a verdadeira dimensão do Quarto. Ou melhor, é como se o Quarto não tivesse dimensões. Não é pequeno, não é grande, é a totalidade daquilo que Jack conhece. Só em raras cenas (quando Jack vai dormir, por exemplo) é que a câmara nos mostra a realidade, de acordo com a perceção normal das coisas.


Não gostei de todo o filme por igual: a primeira parte, passada no Quarto, é muito mais interessante e emocionalmente carregada quando comparada com a segunda metade. É dentro do Quarto que está a novidade do filme; a segunda pouco lhe acrescenta. Não obstante o tema, é um filme bonito e positivo. É uma das mil histórias sobre a resiliência do espírito humano, mas é fresca: dificilmente alguém achará que está a ver algo já feito anteriormente. São duas horas que passam a voar - e a chorar; já disse que é para chorar?


40 comentários

  1. Provavelmente se vir o filme tb irei chorar :(
    Já agora... sapiosexual???

    ResponderEliminar
  2. li o livro e adorei... uma história chocante mas uma excelente história

    ResponderEliminar
  3. Tenho tanta curiosidade em ver esse filme! Mas já ouvi dizer que a parte em que eles saem do Quarto também é bastante interessante, porque mostra a adaptação deles ao mundo lá fora. De qualquer maneira convenceste-me completamente :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É sim, mas é mais banal. E a metade passada no Quarto foi tão diferente e interessante que soube a pouco.

      Eliminar
  4. Ahhh como te entendo, mulher! Fiquei com as lágrimas nos olhos só de ver o trailer no cinema ahah :p acho que é melhor guardar este para ver em casa e evitar vergonhas :p

    Jiji

    * GIVEAWAY - Ganha um Colar + Pulseira + 3 anéis da Coolares *

    ResponderEliminar
  5. Fiquei curiosa com o filme.
    P.s.: sou das que chora com qualquer coisita nos filmes também x)

    ResponderEliminar
  6. Ehehehe agora é que me ri ...Somos almas gêmeas no cinema/filmes ! Eu estava a ler e a rever me ehehehe:) sou igual :)
    Viu querer ver o filme ;)
    Beijinhos
    elisaumarapariganormal.blogspot.pt

    ResponderEliminar
  7. É sem dúvida uma história forte e que nos deixa pensar. Gostei do filme, mas por cá o rio não encheu com lágrimas

    ResponderEliminar
  8. Vi o filme à dois dias e ainda me vejo parada a ponderar sobre ele. Achei realmente muito bom. É diferente, sensível e poderoso. Acho que a criança que faz de Jack tem um papelão. Como disseste, a parte onde habitam o quarto pode tornar-se mais interessante pela novidade, a diferente abordagem. Mas gostei mesmo muito do filme como um todo e para mim está no topo com o Spotlight. (Ainda não vi o Carol nem o Brooklyn)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu também acabei por não ver o Brooklyn no cinema, por alguma razão esteve pouco tempo em horário diurno no cinema onde costumo ir (habituei-me a ir ao do ECI e agora não vou a mais nenhum!).

      Eliminar
  9. A minha "sogra" falou-me sobre ele no fim de semana, entretanto vi o trailer e pensei, não, tu não podes ver esse filme. A verdade é que sou chorona por natureza, uma vaca sozinha a pastar é motivo para um pranto agora imagina o que seria ver este filme. A verdade é que fiquei com o bichinho e vou mesmo ter de vê-lo.

    ResponderEliminar
  10. Deve ser um filme bom.

    Beijo e um dia feliz.

    http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  11. Ando super interessada em ver este filme, mas admito que já vi o trailer e vou com expectativas. Espero que não saiam furadas :P

    Glamour in a Bottle

    ResponderEliminar
  12. Fui a apresentação do filme e adorei conhecer a actriz principal. Esse filme e maravilhoso!

    Portuguese Girl with American Dreams
    http://fromportugaltonyc.blogspot.com

    ResponderEliminar
  13. Ainda não fui ver, mas já vi o trailer e sei que o rapaz fez um excelente papel. Eu não choro imenso com filmes, mas sou bem capaz de verter algumas lágrimas no final ou em momentos mais intensos. São poucos os que me deixaram mesmo a chorar - La vita è bella é um deles, claro. Mas ir para o cinema sabendo que há uma franca possibilidade de acabar com baba e ranho é complicado para mim. Por norma prefiro esperar para ver na minha sala, onde ninguém vai ver os olhos inchados :3 Ainda tenho de pensar bem se vou ou não ver esse, haha

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Percebo-te! Não gosto de chorar em público e ainda gosto menos de ouvir as outras pessoas a fungar. Mas por acaso eu era a única na minha fila nesse dia, e fartei-me de pensar que tinha que parar de chorar dez minutos antes do filme acabar para sair da sala apresentável :P

      Eliminar
  14. Li tudo. Quis parar quando disseste para parar, mas olha... não deu. Já tenho uma lista tão grande de filmes que quero ver e agora ainda tenho de acrescentar este, ai ai ai..

    ResponderEliminar
  15. Será o próximo a ver numa ida ao cinema. Quando vi o trailer colei imediatamente!
    Um beijinho.

    ResponderEliminar
  16. eu também adorei o filme! acho que é uma história bonita de esperança!

    ResponderEliminar
  17. Quero muito ver este filme, mas antes gostava de ler o livro. Entretanto, já vi o trailer e fiquei com mais vontade de ver. Quanto a chorar com filmes, confesso que alguns também têm esse efeito em mim. Já vi o Titanic um milhão de vezes e chorei em todas elas, sempre na mesma parte - quando o Jack, prestes a morrer, diz à Rose que ela vai morrer velhinha numa cama quentinha...pronto, aí começa a choradeira! E também chorei imenso com 'A culpa é das estrelas' e com o 'Marley e eu' e com o 'Wild'...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Na verdade o Titanic é todo ele para chorar. Ai, o Marley...

      Eliminar
  18. eu também sou tão chorona nps filmes, fico com aquela bola na garganta. Esse filme não conheço, mas hei de preparar os lenços antes!! ;)
    Sigo o teu blog, sê bem-vinda ao meu! :)
    http://www.cosmopolitgirl.com/

    ResponderEliminar
  19. Gostei mais da segunda metade, por acaso. E foi nessa que chorei. :)
    Mas todo o filme vale a pena por causa dessa criatura linda. *.* Sou a fã nº1 do Jacob! :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ah, nem me digas, depois de ver o filme devo ter visto umas dez entrevistas do pequeno humano.

      Eliminar
    2. Eu também!!! E vi-as todas com os olhos a brilhar.

      Eliminar
  20. Não sou muito de chorar em filmes admito, mas emociono-me quase sempre na mesma! Tenho que ver :)
    beijinhos
    The Fancy Cats

    ResponderEliminar
  21. Adorei o filme! Sem dúvida um dos meus favoritos do ano passado. Tal como tu, sofro de choradeira crónica em filmes, e este não foi excepção. Além da brilhante Brie Larson, fiquei muito impressionado com o jovem actor Jacob Tremblay. Tão novinho e já cheio de talento :)

    Ricardo, The Ghostly Walker.

    ResponderEliminar
  22. Se é para chorar já sei que vou ficar bem longe dele; só quero filmes que me façam chorar de tanto rir neste momento haha

    beijnho,

    Marlene,
    McTBeauty: http://mctbeauty.blogspot.pt

    ResponderEliminar
  23. Este filme está na minha lista e definitivamente depois da tua review vou ter de ver rapidamente! Sou psicóloga e a plot do filme fascina-me! Adorei a forma como escreves-te a tua opinião. Já estou a seguir o teu blog <3
    Beijinho

    P o l i m i n i m a l i s t a
    |PHOTOBLOG| |FACEBOOK| |INSTAGRAM|

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É meeesmo giro, e para alguém com a tua formação académica deve ter interesse acrescido.

      Obrigada pela simpatia :)

      Eliminar
  24. Garanto-te que estás a anos-luz da quantidade de lágrimas por mim derramadas :D

    ResponderEliminar
  25. fiquei com medo de ver o filme, ou sou aquele tipo de pessoa que na vida real é preciso que aconteça a maior catástrofe do universo para chorar mas depois ainda a protagonista do filme/ da novela / do livro não está a chorar e eu já estou de lágrimas nos olhos.
    Deve ser por isso que depois eu não choro na minha vida, gasto as lágrimas todas nos filmes. ahahha

    http://omeumundoaleatorio.blogspot.pt/

    ResponderEliminar

© Kill Your Barbies. Design by Fearne.