O politicamente correto, esse grande mal

Parece que o humorista Rui Sinel de Cordes, ofendido com a onda de indignação face a um tweet que publicou a respeito do massacre de Orlando, anunciou a decisão de deixar de publicar na sua página de Facebook oficial. Depois disso, não tardou que outros viessem acusar de estarmos a viver numa ditadura do politicamente correto. Isto é tão problemático de tantas formas diferentes, mas, no caso, em apreço, só interessa a mais evidente. O problema das pessoas que acusam os outros de serem politicamente corretos é só um: acham que partilhamos todos dos mesmos preconceitos, com a diferença de que alguns espécimes seletos sentem-se livres para correr mundo a anunciar o seu racismo, sexismo e homofobia. 


Estas pessoas pensam, então, que no fundo todos somos racistas, sexistas e homofóbicos, mas que, estando voluntariamente presos nas amarras do politicamente correto, estamos votados a sê-lo secretamente. Pois, não. Uma pessoa que, face ao massacre de cinquenta pessoas, escreve, e cito, "Que este atentado nos US seja uma lição para todos os homossexuais. Quando vos perguntam se podem abrir um buraco novo, nem sempre devem responder que sim", não é um humorista, é um idiota. Os humoristas não são entidades supra-humanas pairando sobre a sociedade e analisando tudo com uma lente de neutralidade. Pelo contrário, fazem tanto parte da sociedade como nós, e podem ser mais ou menos inteligentes, mais ou menos preconceituosos, mais ou menos socialmente conscientes. E podem, ou não, ter noção da sua influência sobre a opinião pública. Um tipo que, face a um assassinato em massa, faz pouco das vítimas (lembrem-se que é o mesmo tipo que disse que, caso o acusassem de assédio verbal, violava a mulher que o denunciasse, que só haveria de ir preso de barriga cheia), pegando precisamente na sua orientação sexual - orientação sexual que esteve na origem do massacre -, é homofóbico. Só um homofóbico pensa dessa forma tal como só um misógino não se retrai em aversão a uma piada que demonstra uma perigosa dessensibilização face ao abuso sexual. 


Diretamente ligadas às birras derivadas do nojinho ao politicamente correto estão as acusações de hipocrisia. Então não nos rimos de piadas sobre pretos, sobre louras burras e sobre anões? Porque haveria isto de ser diferente? Pessoalmente, não. Acho-as básicas, idiotas, sem graça.  Mas, em última análise, o que está aqui em causa não é a inteligência dos humoristas nem dos recetores do seu humor - que façam e riam de anedotas sobre tirar macacos do nariz ou escorregar em cascas de banana, é convosco. Que façam piadas culpando as vítimas ou incentivando o abuso sexual (vejam, também, este tweet), denota mais que ignorância - é falta de responsabilidade social. Não esqueçamos, por um momento, que o sexismo e a homofobia só sobrevivem à conta dos micromachismos do quotidiano, que se infiltram tão habilmente nos nossos sistemas de ideias formando uma teia simbólica que fornece aos agressores o quadro mental sob o qual sentem a sua violência justificada. Não me defino como politicamente correta porque não tenho preconceitos que queira mascarar - os que tenho são assumidos e alvo de um constante processo de desconstrução, porque os preconceitos são para destruir e não para erguer como uma bandeira. Mas, e se o processo de socialização me tivesse levado a ter preconceitos tão retorcidos e imbuídos na minha forma de pensar ao ponto de serem impossíveis de erradicar? Escondia-os de forma a que nunca vissem a luz do dia e impedia-os de magoar pessoas que não têm culpa da minha ignorância. É que ser politicamente correto continua a ser melhor - e faz bem menos estragos - que ser idiota. 

21 comentários

  1. *Palmas* Concordo totalmente contigo na questão de ele ser um idiota chapado. Completamente. Mais vale cair em graça do que querer ser engraçado, já me dizia a minha avó, que é como quem diz: mais vale ser politicamente correcto do que dizer piadinhas que não acrescentas nada ao mundo. Eu até admitiria piadas sobre o assunto se de facto tivessem alguma crítica por trás. O Bruno Nogueira costuma ser muito bom nisso, por exemplo. Já este gajo, adora mandar piadas dirigidas às vítimas. Parabéns, grande exemplo social que estás a ser, caro Rui.

    Em todo o caso, a liberdade de expressão deve permitir que todos tenham voz: idiotas ou não. Depois cabe-nos chamar-lhes idiotas e desmontar os assuntos até que eles deixem de surgir, pronto. "I disapprove of what you say, but I will defend to the death your right to say it". Ameaçar alguém de morte por causa de uma piada, ainda que sem graça nenhuma, é perder toda a razão - e acho que foi por isso que ele se afastou do facebook...

    Jiji

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Exato - eu também acho que podemos fazer piadas com praticamente qualquer assunto, mas da maneira certa, que não é certamente centrar a atenção nas vítimas de crimes horrendos. Repara, por exemplo, em alguns sketches de humor mais politizado do Gregório Duvivier para o Porta dos Fundos.

      Eliminar
  2. Bravo (; muito bem, concordo a 500%!

    ResponderEliminar
  3. Que texto maravilhoso, concordo inteiramente contigo...só não tenho tanto jeito para a escrita :D :P.
    Um senhor que amua perante criticas e piadas feitas à sua pessoa, quando é o que ele faz diariamente com os outros, não pode ser um ser humano interessante.
    Beijinhos.

    misscokette.blogspot.pt

    ResponderEliminar
  4. Essa figurinha triste é uma verdadeira anedota. Não consigo sequer conceber a ideia de dizer uma barbaridade daquelas face ao massacre em Orlando. A maioria dos humoristas acha-se num pedestal face ao resto da população. "Oh, é uma piada", está desculpado. Poupem-me. Desconhecia aquele "estado" sobre a violação e confesso que me deu a volta ao estômago. Mais chocante que o próprio comentário, é ver a quantidade de "gostos" e até "♥" recebeu na publicação. Enquanto continuarem a dar atenção a este tipo de comportamentos com o intuito de "comic relief", a sociedade não avança. Que o mundo está cheio de aberrações destas nós sabemos, mas ao menos que guardem a ignorância para eles.

    Ricardo, The Ghostly Walker.

    ResponderEliminar
  5. Esse gajo é um asno. Já não é a primeira vez que faz piadas de mau gosto. E este afastamento será temporário, infelizmente. É que este tipo de gentinha precisa constantemente de se fazer notar, nem que para isso se limitem a ser estúpidos a tempo inteiro.

    ResponderEliminar
  6. Ele faz as "piadas", recebe os comentários (muitos deles, igualmente tristes), depois vem o choradinho. Já lhe chamo o "Ritual Rui Sinel de Cordes.
    Há humor negro a que acho piada, não vou negar, mas nada do que esse ser diz me faz rir. Acho-o desprezível.
    Mas como não o posso calar, também evito ler o que escreve. No entanto, gostava que, um dia, ficasse a rir-se sozinho, mesmo sabendo que é sonhar demasiado. :(

    ResponderEliminar
  7. Confesso que me rio imenso quando não devia no que toca a humor negro. Acho que não podemos levar as piadas dele como a opinião dele. O humor negro é isso é pegar numa situação moralmente errada, e explora-la! Dizer aquilo que ninguém seria capaz de dizer e fazer rir de tão absurdo que é.
    Agora, ele tem (ou não, depende se gostamos ou não) jeito para pegar numa situação horrível e humorista-la e levando a coisa de forma leve. Eu concordo que o humor dele é negrerrimo e as vezes sem graça, é só parvo. Gostando ou não mas quando partimos para ameaçar uma pessoa de morte? Isso é todo um outro nível. E acusaram-no de não saber reagir quando é com ele. Mas uma coisa é deliberadamente ameaçar uma pessoa outra é procurar um ângulo, mandar umas piadas (que duvido que reflictam a opinião pessoal dele) para fazer vida e pagar as contas ao fim do mês.
    As pessoas ainda não aprenderam que quando não gostam, passam ao lado. Se algo for mau, sem atenção desvanece-se. Preferem passar para o ataque e ameaça.
    Uma piada é uma piada, tem um objectivo provocar reacção nas pessoas seja boa ou má.
    Mais do que o Rio Sinel de Cordes (do qual não acompanho absolutamente nada voluntariamente) triste é continuar a haver pessoas que se escondem atrás do anonimato e da distancia de um teclado para poder massacrar quem dá a cara por algo (seja de qualidade ou não!).

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não consigo partilhar do teu ponto de vista.
      Não estou, obviamente, a dizer que o sujeito é um potencial violador ou assassino de gays, mas uma pessoa livre de preconceitos homofóbicos e sexistas não pensa daquela forma. É, para mim, inadmissível, e escolho ativamente não passar ao lado disso e partilhar a minha posição e a minha visão de que a persona pública do sujeito é abjeta.

      É evidente que, em relação às ameaças da morte, a minha opinião é a mesma que a tua - isso não está sequer em questão.

      Eliminar
  8. A nível mundial são vários os humoristas que se cobrem com o manto do humor para lançar ódio indiscriminadamente.
    Sou uma pessoa que gosta de humor, que acha o humor uma óptima arte de entretenimento. No entanto, este senhor jamais fez humor. É apenas mal formado e idiota. Com muitos, infelizmente.

    ResponderEliminar
  9. Há gente que se acha muito engraçada.. mas não tem graça nenhuma. Enfim, só faz um bem à humanidade se deixar de escrever

    porondeandaasofia.blogspot.com

    ResponderEliminar
  10. E quando ele escreveu, em relação à criminalização do piropo, que violaria as raparigas que fizessem queixa contra ele? Piadas sobre violação não são piadas, mesmo quando vomitadas por um humorista. Ele é o típico frustrado que não compreende que existem limites para tudo, incluindo para o humor. Brincar com episódios traumatizantes, sejam eles quais forem, não tem graça.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim, referi isso no texto. Isso e gozar, efetivamente, com uma mulher que foi violada durante quinze dias. Achamos mesmo que um gajo que pensa desta forma não tem um pingo de misoginia? Caramba, quando vejo uma notícia dessas tenho é vontade de chorar, não de pensar como é que posso usar a vítima (que, depois de violada, é novamente usada por um "humorista") para fazer uma piada.

      Eliminar
    2. Não sei se leste a declaração dele na sua página oficial, mas se por um lado não acho correcto ameaçarem-no de morte como têm feito, também não acho nada normal ele continuar a achar que tem razão porque é humor, porque é o trabalho dele, etc. Alguém devia informá-lo que ser humorista não lhe dá o direito de brincar com episódios hediondos. Nem o Charlie Hebdo, que é bem ácido e difícil de ingerir, faz isso.

      Eliminar
  11. Pessoalmente, considero-o um idiota e não me revejo no tipo de humor dele. Acho que o humor não deve funcionar como uma chancela idiota para brincar/gozar/humilhar qualquer assunto/pessoa a qualquer custo. Só mostrou ser ainda mais fraco por ter encerrado o perfil.
    Beijinhos ❤
    EVENING BREEZE | GRANDE GIVEAWAY NO BLOG – HAUL DE VERÃO

    ResponderEliminar
  12. Concordo e subscrevo. A maioria dos "humoristas" da nossa praça, não são humoristas mas gajos parvos e chatos.

    ResponderEliminar
  13. Bem... Fiquei oficialmente sem palavras. Subscrevo por baixo de todas as linhas do teu texto; estou completamente de acordo. Para mim, os dois tweets (bem três contando com o sobre Orlando de que falas mesmo no texto) nos links são de uma pura ignorância e maldade, que acho que ainda estou a olhar para o ecrã do PC com um certo "ar" de parva. Não é que uma pessoa não saiba que estas opinões existem e à paletes (infelizmente), mas daí a ver isso publicado em redes sociais e ainda por cima em modo de piada (de muito mau gosto) vai uma distância grande e capaz de nos deixar perplexos. E face a uns comentários que fui lendo... não que seja a mais entendida em tipos/géneros de humor, mas desculpem-me lá, humorismo negro é uma coisa, estes tweets são mesmo de uma pura homofobia, misogania e afins. São mesmo piadas de muito mau gosto. É por estas e por outras que eu cada vez penso que esta sociedade está mais do que arruinada.

    ResponderEliminar
  14. As pessoas acham que escondendo-se por trás de piadas tudo o que dizem é válido, que tudo é aceitável devido à liberdade de expressão e 'sentido de humor' (porque, claro, quem não se ri do que dizem esses pseudo-humoristas e outros do género não o tem). Fazer piadas sobre circunstâncias do género é só infeliz e mostra muito de como certas pessoas pensam...

    ResponderEliminar
  15. Confesso que cheguei a ver o programa de TV dele na Sic Radical e gostava. Também confesso que gosto de humor negro, sem dúvida.
    Mas o que ele faz não é humor negro. E nem vale a pena vir com aquela conversa de 'Ah mas o humor negro não tem limites'. Não, não tem. Mas há uma enormíssima diferença entre fazer uma piada com graça ou dizer só uma coisa estúpida. O 'humor negro' dele (como ele e os fãs gostam de chamar) tem piada se tiveres a idade mental de uma criança de 13 anos, caso contrário nem dá vontade de rir.
    Tenho pena. Porque até acho que ele tem algum potencial, mas perco toda a consideração quando vejo certas coisas que escreve.
    Quanto ao ter apagado o facebook, acho que foi só parvo. Apregoa a liberdade de expressão aos 7 ventos, mas bloqueia toda a gente que lhe dá uma opinião contrária. E agora acaba por apagar a página? Que lógica...
    xx, Ana

    The Insomniac Owl Blog

    ResponderEliminar

© Kill Your Barbies. Design by Fearne.