O raio dos tutores dos cães*

Uma das (imensas, infinitas) razões que me fazem sentir bem nas cidades e não conseguir, de forma alguma, gostar de aldeias, terrinhas e terriolas prende-se com a beleza que é a ausência, nas primeiras, de cães sem trela. Nunca fui uma pessoa de cães (não me perguntem porquê, não clica), mas sucessivos acontecimentos fizeram-me ganhar-lhes medo. A todos, que o medo não discrimina, exceto aos quatro que moram cá em casa. Todos os dias, quando preciso de me deslocar a pé neste fim de mundo para apanhar o autocarro que me me conduz à civilização ou levar as embalagens ao ecoponto -sempre com medo que apareça algum para me morder os calcanhares-, sinto vontade de encher a cara de estalos àquelas pessoas que dizem que não há cães maus, que são todos puros, belos e cheios de amor no coração. Há ainda aqueleque usam o cão como detetor de corrupção moral e que juram a pés juntos que se este não gosta de certa pessoa, então certa pessoa só pode ser má. À merda, todos - há cães estúpidos, embirrentos e violentos, tal como há pessoas estúpidas, embirrentas e violentas. Não deixem os cães andar por aí sozinhos, sujeitos a ser atropelados e a sujeitar alguém a levar com os dentes cravados na perna ou a apanhar um susto valente. Ah, mas ele não morde. Pois não, e os assassinos também são inocentes até à primeira vítima.


* Texto escrito no aftermath de um regresso a casa cuidadosamente planeado para evitar encontrar-me com algum destes amigos quadrúpedes e que ainda assim terminou com uma breve perseguição por um pequeno demónio ladrante. Desculpem lá qualquer irritação. 

25 comentários

  1. Tens 4 cães em casa e mesmo assim tens esse medo? :P Isso é que é estranho! Eu sempre adorei cães e tenho uma que levo à rua quase sempre sem trela, principalmente porque ela se porta bem. Mas ela nunca incomoda ninguém, eu estou sempre atenta e se for preciso prendo-a. Também vivi em Madrid com ela (uma grande cidade!) e andava com ela solta, assim como montes de gente lá :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tenho! Assustei-me muito quando um cão se soltou do quintal e começou a correr na minha direção. Um dos meus cães estava comigo e foi atacado. Quando a briga terminou veio atrás de mim... a minha sorte foi ter conseguido subir a um poste. Pouco tempo depois um dálmata enorme cuja dona jurava que não mordia veio também a correr e a ladrar. Depois desses dois episódios ganhei um medo generalizado a cães.

      Eliminar
  2. Nossa, rapariga, que a perseguição deve ter sido violenta! Ahah :) compreendo-te perfeitamente, embora não seja tão contra deixar os bichos à solta como tu. Gosto muito de cães (só não gosto mais porque por norma cheiram mal) mas sou obrigada a concordar contigo: há bicharada doida e deixá-los à solta é muito parvo. Já apanhei uns quantos sustos mas felizmente nunca lhes ganhei medo, mas lá está, entendo-te - tenho medo é pelos meus gatos, que não podem sair à rua porque há sempre uns quantos cães idiotas na zona...enfim. Ainda assim, vai da educação dos bichos. Ainda há uns dias tive um episódio giro: há uma cadela pastor alemão na minha zona que normalmente está presa e parece mesmo violenta. Pois no fim de semana ouço o meu gato atrás de minha casa a miar e quando vou ver estava ele de um lado de uma vedação e ela do outro a olhar para ele. Fui lá armada em super-mulher e quando lá chego a cadela põe-se a olhar para mim (pensei que ia morrer ali). Ela vem ter comigo nas calmas e lambe-me a mão lol depende muito deles e da nossa atitude também, ficar calmo é meio caminho andado para eles não nos fazerem nada :p

    Jiji

    ResponderEliminar
  3. ahahaha não tenho nada contra cães, mas se puder também os evito, a não ser que seja mesmo adorável (e pequeno. e com dono). detesto quando vou a passar nalgum lado, descansada da minha vida, e os cães começam a ladrar-me sem razão aparente, tenho sempre medo que me mordam e eu apanhe raiva xD
    beijinhos, Noelle :) http://supergirlinconverse.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  4. Detesto quando as pessoas deixam os cães à solta. Além de poderem ser atropelados, quando ando a passear os meus cães, vêm logo a correr direitinhos a eles. Se forem simpáticos, tudo bem. Mas quando não são, eu fico ali no meio de um dos meus cães e de outro, que já está a ladrar ou a rosnar, e que está solto! Soltar os cães em praias sem pessoas, por exemplo, é uma coisa mas na rua acho mesmo irresponsável.

    ResponderEliminar
  5. Eu sempre adorei cães mas nunca tive más experiências com nenhum. No entanto tenho um autêntico demónio em casa. Uma Yorkshire Terrier que era suposto ser uma cadelinha adorável e má como tudo. Ou melhor... tem momentos. Tenho-a há 7 anos, desde que tinha 2 meses e no entanto o raio da bicha não tem problema nenhum em atacar toda a gente cá em casa quando a contrariam. Enche toda a gente de lambidas e 2 segundos depois está a morder. Leva-la à rua é terrivel. As crianças adoram tudo o que é pequenino e tentam logo mexer. Aviso sempre que ela morde e mesmo assim os pais são incapazes de parar os miúdos. Pior! Até continuam a insistir que "é só uma festinha". O que é que dá vontade? De ver a cadela a dar-lhes uma dentada. Pensam que estou a gozar com eles, que uma coisa tão pequena não morde. Enfim.

    Beijinho.
    Lilium
    O Meu Dolce Far Niente
    Facebook

    ResponderEliminar
  6. Eu gosto de cães mas não gosto de cães grandes! Se vejo um solto na rua dá-me um mal e já com a trela fico insegura! Isto porque quando eu era pequena eu e um dos meus irmãos fomos atacados por um pastor alemão e apartir daí surgiu esse medo de cães grandes! Concordo que não deviam andar soltos!

    ResponderEliminar
  7. Eu gosto de cães, mas não gosto de todos. Porque como dizes não são todos iguais, tal qual as pessoas. Nunca na minha vida tive qualquer atitude agressiva com um animal, no entanto já fui atacada por um. Só não me mordeu a perna seriamente porque um carro veio directo a ele. Eu apenas ia a passar na rua quando o vi soltar uma corrida desenfreada para mim, a salivar e a rosnar. E era um cão com casa, cama e comida. Mas como dizes, estava solto por um "dono" irresponsável. Como fiquei a saber mais tarde, não era a primeira vez que acontecia.
    É preciso ter muito cuidado quando queremos criar um animal. Eu tenho a minha Shiva, doce e brincalhona que só ela, mas anda sempre de trela na rua, porque nem eu nem ela temos o direito de incomodar ninguém. É a minha posição.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois, é isso. Até posso perceber que um cão que nunca ladrou a ninguém (e que seja relativamente pequeno a ponto de ser possível controlá-lo caso um dia se passe de cabeça) ande solto, mas onde vivo há cães que ladram a toda a gente e andam na rua o dia todo. Mesmo que não mordam - porque há muitos que só ladram e depois cansam-se - representam um stress enorme para quem tem este medo.

      Eliminar
  8. Isso é porque ainda não encontraste o 'cão' certo (a mesma teoria que se aplica aos homens!!) eheheh :D Agora falando a sério, é um medo legítimo. Eu adoro cães, tenho um que é a coisa mais querida do mundo, no entanto, se vir um cão solto na rua fico com algum receio e tento permanecer imóvel na esperança que ele não olhe para mim! Não sou perita em psicologia canina, mas penso que, tal como as pessoas, os cães (e restantes animais) têm a sua própria personalidade. O Spike, que era o cão que tive antes do Ben, não era nada sociável nem afectuoso. Já este é super meigo! Cada um é como cada qual!

    ResponderEliminar
  9. Eu adoro cães, quando tiver condições financeiras e ambientais vou voltar a adoptar um cão, sou daquelas que quando um cão ladra para mim eu falo para ele e digo-lhe olá (passo por doida varrida, mas paciência), mas concordo plenamente contigo! Existem cães com vários feitios e alguns não são nada simpáticos. A mim irrita-me sobretudo aqueles defensores caninos que espumam em tudo o que é notícia quando um cão ataca alguém, porque para eles a culpa nunca é do cão, o animal mais santo à face da terra. Culpam os donos, as vítimas, o governo, só que esquecem-se que o cão, apesar domesticado e relativamente inteligente, continua a ser selvagem. Não digo que o ser humano não tenha alguma responsabilidade enquanto "dono", mas há extremismos que até assustam e que há uma coisa chamada instinto, que faz com que se o animal se sentir ameaçado por alguma razão aja de forma diferente mesmo que não lhe tenhas feito nada. A minha tia tem um cão, que é um doce de animal, mas que sempre que ele ve o cortador da relva tem que ser preso, porque desata a atacar toda a gente.
    porondeandaasofia.blogspot.com

    ResponderEliminar
  10. Bem, acho no mínimo estranho teres cães e teres medo deles. E sou daquelas que realmente acha que eles são puros e se não gostam de alguém é porque a pessoa não é boa rês. Também os há violentos sim e eu já fui atacada por um, que me rasgou a pele do nariz até à boca. A cicatriz está aqui a comprová-lo para o resto da minha vida e, no entanto, os cães continuam a ser o amor da minha vida :) Na questão aldeia versus cidade, já fui como tu, agora só queria uma aldeia tranquila para viver. Tem calma, que nem tudo é como te parece, mas respeito. Beijinho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Os meus cães não vêm a correr atrás de mim a ladrar, enquanto os cães com quem me cruzo na rua, muitas vezes, vêm. Pronto, está explicado o mistério de não ter medo dos meus cães e ter de outros :P

      Eliminar
  11. Adoro cães, animais no geral e tenho um cão. Cão esse que vai sempre à trela exactamente por volta e meia virar a pipoca por causa do instinto de protecção. Ladra só, que nem um louco, mas lá está, não quero nem assustar ninguém nem que algum dia as coisas corram mal. E foi criado com todo o amor e carinho possível deste mundo e do outro. Não acredito em cães maus, e que façam mal propositadamente, mas eles têm instintos primários diferentes dos nossos. Portanto, ainda que não tenha medo, compreendo-o perfeitamente!

    THE PINK ELEPHANT SHOE | FACEBOOK | INSTAGRAM |

    ResponderEliminar
  12. já eu, adoro caes e se pudesse trazia varios da rua pa casa :D

    ResponderEliminar
  13. Percebo por completo esse teu medo de cães, já o tive e a única coisa que me fez perde-lo foi o meu cão. A verdade é que muitos cães atacam simplesmente por medo ou por instinto, muitos cães de rua simplesmente atacam humanos porque nunca foram bem tratados por um. Culpa-los não gosto de o fazer, não têm o nosso raciocínio e só querem sobreviver. Mas qualquer dono que sabe que o seu cão tem tendência a atacar deveria ter muito mais cuidado isso sim concordo! Nunca deixaria o meu cão andar sem trela fora de casa, apesar de ser afável para a nossa família não gosta de estranhos. Desculpa o texto enorme, mas muitos beijinhos! :D

    NINETEEN MOONS

    ResponderEliminar
  14. Eu adoro cães de paixão (são o meu animal) preferido e sei o quanto as pessoas fazem coisas menos corretas a pensar que é para o bem do animal.
    Para mim, um animal nunca deve estar à solta onde circulem carros, outros animais ou pessoas. É perigoso tanto para o animal como para os outros. Pode ser atingido por um carro, pode ser atacado por outro animal ou até mesmo magoar alguém mesmo que sem querer. Para além de que as pessoas parecem não respeitar quem tem medo de cães (os que odeiam cães é outra coisa). Como se a uma pessoa com medo de aranhas também lhe fossem esfregar uma aranha (mesmo que inofensiva) ali ao pé dela.
    Se querem deixar o animal solto à sítios muito melhores para o fazer, sejam por serem desertos ou, em algumas cidades, próprios para esse fim.

    ResponderEliminar
  15. Tendo medo ou não, nenhum cão devia andar solto fora da sua residência. Para os donos podem ser todos muito fofinhos e dóceis mas com elementos estranhos, nunca se sabe. Vale a pena correr o risco de magoar o animal ou outra pessoa? Não. Por muito que eu seja uma enorme dog person e, sinceramente, os considere melhores que muitos seres humanos, tenho plena consciência que existem certas criaturas de índole duvidosa. Já encontrei alguns pelo caminho que me "perseguiram" mas, até ao momento, a máxima de "ignora e não mostres medo" sempre resultou (esperemos que assim continue).

    Ricardo, The Ghostly Walker.

    ResponderEliminar
  16. Eu adoro cães e adorava ter um, mas a viver num apartamento e tendo gatos, não. Teria que ter outras condições e sei que no futuro acontecerá. Mas compreendo bem o que dizes - eu sou das meio loucas que se mete com todos os gatos e cães na rua, mas conheço histórias terríveis simplesmente porque determinadas pessoas não colocam trela aos seus cães. São animais e são imprevisíveis, nunca sabemos como vão reagir a determinadas coisas. Para não falar das histórias mais violentas, basta ver que muitos cães se perdem dos seus donos porque se assustam com algo e fogem. E é tão simples evitar isso.

    ResponderEliminar
  17. Nisso posso concordar... os "donos" desses cães deviam ter mais cuidados porque além de correrem esse risco de serem atropelados, roubados ou se envolverem em brigas com outros cães...por norma não são castrados e andam aí atrás de cadelas em cio e tanto é mau uma cadela andar na rua como um cão que vai fazer o serviçinho!!! E agravando a isto tem a parte das pessoas que possam ter medo. Sim porque tem de haver esse respeito! E nisso eu também me passo. Não com os cães que os adoro , mas pela falta de respeito que há por parte de muita gente...e esquecem-se que a liberdade deles acaba quando começa a dos outros.
    Beijinho
    elisaumarapariganormal.blogspot.pt

    ResponderEliminar
  18. Também era como tu, com essa aversão!
    No entanto, desde que comecei o voluntariado, esse medo tem-se desvanecendo. No entanto, na minha aldeia há um desses cães que anda solto e corre atrás das pessoas (e dos carros) a ladrar!
    Já avisei a minha vizinha que ele incomoda quem anda a pé e que qualquer dia ainda é atropelado.
    Ela não quis saber! Apeteceu-me denunciá-la na Junta de Freguesia!!

    ResponderEliminar
  19. Como eu te percebo! Também vivo num sítio um pouco deslocado da cidade, com alguns campos em redor. Tenho bastante medo a cães, mas como corro por estes sítios tenho alguma experiência que me diz que, no geral, eles se ficam por alguns latidos. Claro que às vezes esta experiência me leva a outras experiências menos agradáveis - já passei por dois cães numa casa que ladravam em cima de um muro alto, mas claro que não iam saltar... Até saltarem. E eu ver os dois cães a ladrar-me enquanto tentava sair de fininho. Agora nunca passo por essa casa, alterei permanentemente o meu percurso :P Mas lá está - os donos não têm grande responsabilidade, têm dois cães porque é giro e depois não pensam nas questões práticas. Não faz sentido nenhum não tomarem medidas (bastava colocar uma rede ou assim) para evitar que os cães saltem o muro e ameacem as pessoas que vão a passar...

    Mais do que isto irritam-me as pessoas que decidem adotar todos os cães que vêem à frente para os colocarem num sítio sem condições. Não lhes dão comida, eles que a arranjem, e deixam-nos num terreno sem muros ou redes para que possam ladrar em horda a quem vai a passar.

    Depois há também os cães vadios, coisa tão comum nas aldeias. A maior parte até está habituada às pessoas e não incomoda, mas nem sempre é assim... Há um cão branco que está sempre plantado à beira de uma rotunda perto de minha casa (e quando vou correr não posso mesmo desviar-me dela, porque praticamente qualquer percurso seguro passa por lá) e ladra-me e persegue-me durante uns metros sempre que me vê. Eu começo a ficar habituada, mas continua a ser assustador :P Ainda é pior quando os cães do sítio se decidem juntar todos no meio de uma rua por onde passo, quase que morro de medo :P

    Claro que também há cães fofinhos - uma vez fiz um 'amigo' pacífico que me acompanhou silenciosamente durante vários quilómetros e foi muito engraçado. Mas são mais a exceção do que a regra :P

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Também já passei pelas duas situações: os que ladram e correm atrás de nós mas que até têm medo de se aproximar demasiado e os que não saltam do quintal até saltarem. Nessa ocasião não sei se não teria sido mordida caso um dos meus cães não estivesse comigo. Há cães fofinhos - a maioria! - mas agora quando vejo um cão solto e sozinho a primeira reação já é de medo. E parece que nas aldeias há mais cães variados do sistema :P

      Eliminar

© Kill Your Barbies. Design by Fearne.