O «efeito 2016»

Está a pessoa doente, de sofá, com uma constipação até às orelhas, levemente atenta à televisão sintonizada num canal de informação (porque sim, sou assim tão chata, e convém saber caso o Trump anuncie que vai dar uso ao armamento nuclear) e ouve qualquer coisa como: 


Notícia de última hora: acabamos de ser informados que Bob Dylan... *pausa dramática*


Garanto-vos que nem sou uma pessoa muito cáustica, mas quando, num ano como este, é mencionada uma informação de última hora acerca de um artista de reconhecimento mundial (e em especial, um que já não vai para novo), torna-se natural pensar que foi desta para melhor. Mas não, diz só que não está virado para ir a Estocolmo receber o Nobel, o sacana. 


[Agora a sério, 2016, podes levar tudo, como tens levado até agora, mas deixa cá o Bob Dylan e a Maggie Smith, OK? Gracias.]

15 comentários

  1. Se eu ouvisse isso dava-me um ataque antes de acabar a notícia ahah

    Beijinhos
    That Girl

    ResponderEliminar
  2. Estou como tu, sempre que oiço "notícia de última hora" o meu coração até gela. Este ano teve algumas coisas boas, mas as menos boas atacaram com força. Até tremo. Bem, depois de um ano assim, só pode ter tendência para melhorar!

    ResponderEliminar
  3. NÃO FALES NA MAGGIE SMITH! Ainda enguiças. Jasus o.O

    Jiji

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oh, as pessoas andam há anos a dizer que não a rainha de Inglaterra já está viva há demasiado tempo, por isso não é por aí :P

      Eliminar
  4. 2016 tem sido mesmo um ano terrível não só no que toca a acontecimentos políticos, mas também às várias personalidades mundialmente conhecidas que têm ido desta para melhor.

    ResponderEliminar
  5. Adoro essa atriz. :) Já dele não sou fã... Mas gostos são isso mesmo, gostos. São reflexo da nossa personalidade e sim, podem mudar e até se podem polir. :)

    Coincidência ou não, semanas antes de ele receber o prémio eu tinha estado a rever, pela 3a vez talvez (e eu adoro cinema e dificilmente repito filmes....mas estava a dar num canal qualquer), o Mentes Perigosas e é engraçado porque eles estudam e comparam, precisamente, as obras de Bob Dylan e Dylan Thomas - surpreendente para os alunos no filme (quer os temas quer os autores) e surpreendente para mim, que achei interessante em termos de programa - afinal conseguiu cativá-los para o estudo a ponto de concluirem o liceu de uma vez por todas.

    Só não percebo esta indefinição toda à volta da receção do prémio... Se não quer receber, a mim não me faz confusão - que não receba. O que me aborrece é esta necessidade de marcar uma posição que na verdade não percebo muito bem qual é. :/ (se houver alguém que me elucide, agradeço).

    De resto, tenho de concordar que este foi, internacionalmente, um ano bastante infeliz...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A justificação "oficial" é a existência de compromissos prévios. Quanto às motivações reais, não faço ideia.

      Eliminar
    2. :) obrigada na mesma.

      Felizmente ele é livre para fazer (muito d)aquilo que entender. :)
      E fazer diferente. Disso eu gosto.

      Eliminar
  6. 2016 já foi mau o suficiente em levar o Bowie e o Leonard Cohen :(
    E espero que estejas a recuperar dessa tua constipação, também já tive a minha dose e o inverno ainda nem começou!
    xx, Ana

    The Insomniac Owl Blog

    ResponderEliminar
  7. R: Acho que pensamos da mesma forma. Esse balanço n é nada fácil e se calhar tem muito a ver com a personalidade de cada um. Tal como estas "exigências" têm a ver com a minha personalidade.
    Eu gosto de me sentir gira, muitas vezes. Mas de vez em quando quero mesmo sentir-me sexy. É diferente.. acho que sempre fui um pouco assim. Mas ultimamente até nem dou muita atenção a esse meu lado :)
    Eu também terminaria.. Ou nem deixaria começar. Aliás, já fiz isso, algumas vezes...
    Compreendo-te bem também já passei por uma situação mesmoooo desagradável. Olha que ainda hoje me deixa marcas e já foi há 3 anos :( Nunca mais fui a mesma, mas n faz mal, porque aprendi com isso. E ainda bem que fui sensata o suficiente para n deixar acontecer o pior.

    Em relação ao teu post, acontece-me isso qdo alguém da família liga, penso sempre que alguém mais idoso da família faleceu :(

    ResponderEliminar
  8. Acho que 2016 foi ano para esquecer sem dúvida, só de pensar que agora o Trump é presidente dá-me uma coisinha ahahah
    Beijinhos :)

    ResponderEliminar
  9. Para mim 2016 foi o golpe David Bowie.. sou muito fã.. quanto ao Trump.. tive uma aula de estatística hoje em que o meu professor mostrou um artigo que publicou acerca da influencia da empatia dos políticos na decisão de votar e de repente o resultado faz todo o sentido (as coisas que uma pessoa aprende no dia a dia). As melhoras! Muito chã e vitamina C nessa constipação!
    Por onde anda a Sofia?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Também gosto muito de Bowie, e de Cohen... e do Alan Rickman. Raio de ano!
      Já estou bem melhor, Dra. Sofia :P

      Eliminar
  10. As melhoras! =)
    De facto este ano tem sido implacável com a classe artística...

    www.walking-spirit.com

    ResponderEliminar
  11. Nem digas uma coisa dessas, que isto já tem sido suficientemente mau para os músicos! Ainda por cima estamos na época de Natal, é tempo de ouvir a 'little drummer boy' em loop :P Saber que o artista morreu tirava algum encanto (claro que não é o pior associado à eventual morte do Bob Dylan) :P

    ResponderEliminar

© Kill Your Barbies. Design by Fearne.